A ARTE DE SER FELIZ | Glorinha Cohen

A ARTE DE SER FELIZ

beautiful orange young brunette girl expression portrait with da

“Meu marido nunca me fez feliz! Eu sou feliz e o fato de eu ser feliz ou não, não depende dele e sim de mim.

Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade! Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha vida”.

 

Até receber esse email de uma amiga minha, achava que a felicidade não existia e sim que a vida era feita de momentos felizes e deoutros não tão felizes.

Ela conta que, em um encontro de casais, alguém perguntou a uma das esposas presentes se o marido a fazia feliz de verdade. E para grande espanto do marido e dos presentes, ela respondeu:

“Não, o meu marido não me faz feliz!”

Nesse momento o marido já procurava a porta de saída mais próxima.

E ela continuou:“Meu marido nunca me fez feliz! Eu sou feliz e o fato de eu ser feliz ou não, não depende dele e sim de mim.Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade! Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha vida, pois se a minha felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou circunstância sobre a face da terra, eu estaria com sérios problemas. Tudo que existe nesta vida, muda constantemente:  o ser humano, as riquezas, o meu corpo, o clima, o meu chefe, os prazeres, os amigos, minha saúde física e mental. E assim eu poderia citar uma lista interminável.”

Sou eu que decido ser ou não feliz! As demais coisas, pessoas, momentos ou situações eu chamo de experiências que podem ou não me proporcionar momentos de alegria e tristeza. Quando alguém que eu amo morre, eu sou uma pessoa feliz num momento inevitável de tristeza. Aprendo com as experiências passageiras e vivo as que são eternas, como amar, perdoar, ajudar, compreender, aceitar e consolar!

Há pessoas que dizem: hoje não posso ser feliz porque estou doente, porque não tenho dinheiro, porque faz calor, porque alguém me insultou, porque não me deram o devido valor, porque meu marido não é como sonhava, porque meus filhos não me fazem feliz e por ai vai….

Amo minha vida não porque ela é mais fácil ou melhor que a dos outros, mas porque decidi ser feliz como indivíduo e me responsabilizo pela minha felicidade.

No meio das situações difíceis, no meio das tragédias, no meio dos ombros amigos que se afastam, no meio das pessoas que me magoam com lembranças dolorosas, ao receber uma rasteira ou depois de sentir na pele um ato de desamor por parte de pessoas que gosto tanto….Escolho ser feliz !

E como diz Santo Agostinho: “peça a D’us que lhe dê serenidade para aceitar as coisas que você não pode mudar, coragem para modificar aquelas que podem ser mudadas e sabedoria para conseguir reconhecer a diferença que existe entre elas”.

Escolha sempre ser feliz”.


Nota: autora desconhecida.