QUANTO VALE UMA MÃE? – RAV EFRAIM BIRBOJM

312_história_2_1Será que sabemos dar o devido valor ao papel de uma mãe na construção de um lar bem estruturado?


“Ana foi renovar sua carteira de motorista. Quando o funcionário que preenchia o formulário perguntou sua profissão, ela não sabia bem como classificar-se. Depois de pensar um pouco, respondeu: “Sou mãe”. O funcionário olhou para ela com desprezo:

- Senhora, nós não consideramos “mãe” um trabalho. Vou colocar “dona de casa” – disse friamente.

Naquele dia Ana voltou para casa arrasada. Nunca tinha se sentido tão humilhada na vida. Alguns meses depois, quando fazia seu passaporte, a funcionária que preenchia o formulário perguntou qual era a sua ocupação. Desta vez, sem precisar nem pensar, Ana respondeu confiante:

- Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas.

A funcionária fez uma pausa e olhou-a espantada, com a expressão de quem não tinha entendido. Ana então repetiu pausadamente, enfatizando cada palavra. Então reparou, maravilhada, como a atendente ia escrevendo aquelas palavras no questionário oficial.

- Posso perguntar – disse-lhe a atendente, agora com novo interesse – O que a senhora faz exatamente?

- Desenvolvo um programa de longo prazo, tanto em laboratório quanto no campo experimental – respondeu Ana, orgulhosa – Sou responsável por uma equipe e atualmente desenvolvo três projetos diferentes. Trabalho em regime de dedicação exclusiva, chegando a me dedicar quase 18 horas por dia ao trabalho.

Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária. Quando acabou de preencher o formulário, ela levantou-se e fez questão de pessoalmente abrir a porta para Ana sair.

Quando Ana chegou em casa, foi recebida por sua “equipe”. Recebeu abraços e beijos de seus “projetos” mais antigos, de 8 e 5 anos. Vindas do andar de cima, escutou as gargalhadas do seu novo “projeto”, um bebê de pouco mais de um ano. Sentiu-se triunfante!”

Será que sabemos dar o devido valor ao papel de uma mãe na construção de um lar bem estruturado?


RAV EFRAIM BIRBOJM – Mestre em Engenharia pela Escola Politécnica da USP, começou seu processo de Teshuvá (retorno ao judaísmo) aos 25 anos, através da Instituição “Binyan Olam”. Saiba mais.

Email: efraimbirbojm@gmail.com