ALGUÉM JÁ GRITOU E BERROU COM VOCÊ? – RABINO KALMAN PACKOUZ | Glorinha Cohen

ALGUÉM JÁ GRITOU E BERROU COM VOCÊ? – RABINO KALMAN PACKOUZ

314_historia_3_1Você já teve que lidar com uma pessoa difícil — um chefe, um colega, um parente? Alguém já gritou e berrou com você, o(a) criticou indevidamente, ‘explodiu’ em cima de você?

As chances são de que a sua adrenalina disparou e a sua primeira reação foi interrompê-lo(a) e corrigi-lo(a)! Essa seria a resposta típica e habitual. Porém, em seguida, a situação se agrava e quando finalmente acaba, houve um tremendo desgaste e o incidente continua ocupando a sua mente por muitas e muitas horas. Se isso é o que aconteceu, então, saiba: você é humano!

Gostaria de compartilhar com você, querido(a) leitor(a), alguns pensamentos sobre como ‘desativar’ uma situação destas de modo que não o(a) esgote nem prejudique você e a sua autoestima! Eis aqui o

PLANO DE 6 PASSOS:

1) NÃO INTERROMPA — Deixe a pessoa esfriar. Nossos Sábios ensinam no livro Pirkei Avót (Ética dos Pais 4:1): “Não tente apaziguar alguém em seu momento de ira”. Evite o forte desejo de ‘responder na mesma moeda’. Demonstre que você está levando a pessoa a sério: balance a cabeça, mantenha contato com os olhos. Alguma hora ele(a) vai se cansar.

São necessários dois para discutir. Não discuta. Você não vai ganhar. Se a pessoa está gritando e berrando ao invés de explicar e esclarecer — a questão provavelmente não é com você. Você não sabe que tipo de dia esta pessoa teve e também não sabe que tipo de infância e experiências de vida a fizeram ser do jeito que ele/ela é. Não a julgue, não leve seus gritos e chiliques para o lado pessoal – apenas lide com a situação.

2) RESPONDER NUM TOM DE VOZ SUAVE — O Rei Salomão ensinou (no livro Provérbios 15:1): “Uma voz suave afasta a ira”. Uma voz suave reduz a intensidade da situação e reduz o tom das emoções.

3) ENCONTRE ALGO POSITIVO PARA RESPONDER — Com toda a raiva e injúrias que está sofrendo, há provavelmente algo que você pode aprender e levar em consideração ou – ao menos – concordar. Responda de forma curta e doce: “Este é um bom ponto. Obrigado por me deixar saber”. (Tenho um amigo que tem uma estratégia de 3 pontos que ele diz que sempre funciona quando sua esposa está zangado com ele: 1) Ele diz: “Sim, querida”. 2) Se isto não a acalma, ele diz: “Desculpe, querida”. 3) e sua resposta final …. “Eu sou apenas um homem”).

As pessoas querem ser ouvidas, querem ser levadas a sério. Precisamos responder de uma forma adequada e comedida. Como é possível fazer isso com as emoções em erupção?

4) REDEFINA O FOCO – O Rabino Noah Weinberg, o fundador da Aish HaTorah, reforçava essa ideia com o seguinte exemplo: Você está andando na rua e lá na frente do Hospital Psiquiátrico está um indivíduo em pijamas listrado e descalço — obviamente um paciente. Ele olha para você e diz: “Você é a pessoa mais feia que já vi. Não posso acreditar que D’us viu por bem colocar você no mundo!” Perguntou o Rabino Weinberg: “Você vai levar essas palavras a sério, entrar em depressão e voltar para a cama? Não! Você dirá: “Puxa, o cara tem problemas sérios; espero que não seja violento, também!”

Nossos Sábios ensinam que uma pessoa não erra a não ser que entre nela um espírito de insanidade temporária. Eles também ensinam que é uma enorme transgressão menosprezar/humilhar alguém, especialmente em público. Você ficaria com raiva de uma pessoa louca? Se isso não estivesse acontecendo com você, provavelmente você teria compaixão e comiseração por esta pessoa. Considere que o que está sendo ‘atirado’ em você está vindo de uma pessoa insana; seja misericordioso e compreensivo!

5) SAIBA QUEM ESTÁ COM PROBLEMAS — Se alguém está berrando e gritando, ele/ela está com o problema. A menos que a pessoa esteja tentando evitar que alguém atravesse a rua e seja atropelado por um caminhão, gritar e fazer escândalo é uma manifestação de suas próprias dificuldades e falta de autoestima. Todos sabem que se desejamos ajudar alguém a mudar seu comportamento, gritar e berrar não funciona. Se o problema é dele(a), você pode relaxar um pouco.

6) CONCENTRE-SE NO MÉRITO DE NÃO RESPONDER — Nossos Sábios nos ensinam que se alguém nos menospreza ou ofende e não respondemos, podemos usar este grande mérito para que nossas orações sejam respondidas positivamente. Ao invés de nos concentrarmos sobre o ataque verbal, foquemos sobre quais orações queremos que sejam atendidas!

Se pudermos integrar essas ideias ao nosso dia a dia, nos pouparemos de um monte de sofrimento e dores de cabeça — e, quem sabe, talvez até recebamos um pedido de desculpas!

Pensamento: “Muitos de nós falam duas vezes antes de pensar!


RABINO KALMAN PACKOUZ – Do Aish Hatorá, é o criador do Meór Hashabat, boletim semanal com prédicas. Saiba mais.

NOTA:- Desejando contribuir para o Meor Hashabat acesse o www.aishdonate.com – Email – meor18@hotmail.com