REZANDO COM O CORAÇÃO – RAV EFRAIM BIRBOJM

321_história_2_1D’us sempre escuta quando falamos com Ele. O problema é que normalmente não falamos com D’us, e sim com o Sidur ou com as paredes. Sem Kavaná (intenção), a Tefilá se transforma em palavras vazias da boca para fora.


Yossef morava em Jerusalém. Por causa das dificuldades financeiras, ele vivia com a esposa e seus 3 filhos em um apartamento alugado de quarto e sala. De noite, Yossef espalhava colchões pela sala para seus filhos dormirem. O apartamento era tão pequeno que, quando os colchões estavam espalhados pelo chão, não havia espaço nem mesmo para chegar até o banheiro. Certo dia, a esposa de Yossef veio com a novidade: estava grávida do quarto filho. Ele entrou em desespero. Onde o bebê dormiria quando crescesse um pouco? Além disso, a comida já quase não era suficiente para a família, de onde conseguiriam dinheiro para alimentar mais uma boca? Yossef não sabia o que fazer. Estava tão tenso que não conseguiu trabalhar naquele dia. Ligou para o seu chefe e explicou que não se sentia bem. Virou-se para sua esposa e disse, emocionado, que iria pedia ajuda ao seu pai. A esposa deu risada, pois o pai de Yossef estava em uma situação financeira ainda mais difícil do que a deles, então como poderia ajudar?

- Não estou falando do meu pai. Estou falando de D’us, meu Pai celestial. É para Ele que eu vou pedir ajuda…

Yossef pegou um ônibus até a Cidade Velha de Jerusalém. Chegando lá, dirigiu-se ao Muro das Lamentações, encostou seu rosto nas pedras e desabou em um emocionado e sincero choro. Um homem que passava por ali ficou sensibilizado com aquele rapaz que chorava feito uma criança enquanto murmurava palavras que não podiam ser escutadas. Ele colocou a mão no ombro do rapaz e perguntou se poderia ajudar em algo. Yossef agradeceu, mas respondeu que o assunto era somente entre ele e D’us. Yossef virou-se novamente para o Muro e continuou sua Tefilá. Porém, o homem não desistiu e insistiu mais uma vez, perguntando como poderia ajudá-lo. Mesmo não conhecendo aquele homem, Yossef desabafou, contando-lhe sobre suas dificuldades e sobre o bebê que estava a caminho. O homem então falou para ele:

- Preciso de um grande favor. Moro na França e estou apenas visitando Israel por alguns dias. Eu estou procurando um apartamento para comprar aqui em Jerusalém. Porém, como eu não sei falar bem hebraico, vai ser difícil explicar exatamente o que eu estou procurando e certamente não conseguirei negociar um bom preço. Então quero fazer um acordo: me ajude a encontrar e comprar um bom apartamento e te darei uma bela recompensa por isso.

Yossef não conhecia muito sobre compra e venda de imóveis, mas gostou da proposta daquele homem. Qualquer ajuda naquele momento seria muito importante. Se esforçou, encontrou boas opções, negociou os preços e conseguiu um bom apartamento para aquele judeu francês. Para a enorme surpresa de Yossef, depois da compra, o homem estendeu para ele a chave e disse:

- Eu comprei este apartamento apenas como um investimento. Por enquanto, não tenho intenção de vir morar em Israel. Porém, não gostaria que o apartamento ficasse vazio, se deteriorando. Por favor, mude-se para lá com sua família e fique o tempo que você quiser.

Yossef não podia acreditar no que estava escutando. D’us havia escutado sua Tefilá, um pedido do fundo do seu coração. Era um apartamento bem grande, sua família viveria com mais conforto. Além disso, com o que economizaria no aluguel, poderia ficar mais tranquilo com a vinda do bebê. Era um verdadeiro milagre”.

D’us sempre escuta quando falamos com Ele. O problema é que normalmente não falamos com D’us, e sim com o Sidur ou com as paredes. Sem Kavaná (intenção), a Tefilá se transforma em palavras vazias da boca para fora.


RAV EFRAIM BIRBOJM – Mestre em Engenharia pela Escola Politécnica da USP, começou seu processo de Teshuvá (retorno ao judaísmo) aos 25 anos, através da Instituição “Binyan Olam”. Saiba mais.

Email: efraimbirbojm@gmail.com