PAVOLINK – DAVID IASNOGRODSKI | Glorinha Cohen

PAVOLINK – DAVID IASNOGRODSKI

David

 


É um termo em “idisch”, que significa devagar.

178_especial_5.1

Não se assustem…

Não se assustem!

Não é “palavrão”.

É um termo em “idisch”, que significa devagar.

Sim, devagar (“pavolink”).

Nasci e cresci ouvindo o idisch.

Minha avó paterna, principalmente, falava comigo mais em idisch do que em português. Minha avó materna já falava mais português do que idisch, ao menos comigo.

Minha avó paterna não sabia muito o linguajar do nosso país. Era falava um “portuidisch” (mistura de português com idisch).

Meu pai quando chegou a Porto Alegre, vindo da Rússia, da cidade de Shpola (hoje pertencendo à Ucrânia) aprendeu a falar português mas não esqueceu o idisch. A profissão dele era de “clientelshik” (ambulante).

Pelo visto vocês estão notando que aprendi o idisch muito de ouvido e também tive aulas de idisch no Colégio Israelita Brasileiro (então conhecido como “colégio idisch)”.

Logo, pelo visto, aprendi idisch com vagar (devagar – “Pavolink”)

Não o domino muito.

Defendo-me. Entendo tudo, mas falo pouco.

Nas minhas viagens me utilizo muito do idisch. Sempre encontro alguém que me entende…

Atualmente, dizem as estatísticas, calcula-se que cerca de 1 milhão a 3,2 milhões de judeus falam o idisch, a metade deles dos quais residem nos Estados Unidos. Em outros países como Alemanha, Argentina, Bélgica, França, Israel, Lituânia, Rússia, Brasil, Ucrânia, Canadá também existem grupos de judeus que falam o idisch. Há uma boa literatura em idisch, assim como um bom teatro em alguns países, tais como Israel.

O idisch se desenvolveu dentro da cultura asquenazita, a partir do século X na Europa Central e Oriental e se espalhou para outras regiões do planeta com a emigração de seus praticantes. Nós não podemos esquecer que o nomadismo sempre esteve junto com a população judaica mundial.

O nome idisch passou a ser usado para designar o idioma somente a partir do século XVIII..

Objetivando, podemos dizer, que o idisch é o idioma germânico escrito com caracteres do alfabeto hebraico moderno e em sentido oposto (escrito e lido da direita para a esquerda) ao da escrita ocidental.

Porque o título “Pavolink”?

Devagar!

Tudo a seu tempo.

Aprender línguas é espetacular para todo o ser humano.

E esse aprendizado é devagar.

“Pavolink”!

Escrever, ouvir, falar – é tudo dentro de uma língua. É a comunicação.

Tudo a seu tempo.

Tudo com vagar.

Devagar!

“Pavolink”.

David Iasnogrodski – – escritor, engenheiro, administrador. Saiba mais

www.davidiasnogrodski.blogspot.comdavid.ez@terra.com.br