QUAIS SÃO OS SEUS PRINCÍPIOS? – RABINO KALMAN PACKOUZ

295_história_2_1“Princípios e valores são muito importantes, mas o princípio de ‘Amar a paz e procurar a paz’ é ainda mais importante que os demais. Às vezes o nosso Yétser HaRá (má inclinação) aparece na forma de retidão e justiça, fazendo com que entremos em discussões alegando que é por um motivo justo, quando na verdade o motivo é o ‘orgulho ferido’ ou o ‘ego magoado’.


A Torá nos conta sobre a rebelião de Korach contra Moshe, iniciada ostensivamente por uma discussão sobre ‘princípios’. Poderia ser mais bem descrita como uma rebelião baseada no ego, mas que se manifestou disfarçada de ‘princípios’. É surpreendente quantas amizades, casamentos e sociedades são destruídas pelo ego disfarçado de ‘princípio’!

Quantas vezes já ouvimos: ‘Não posso concordar. Não porque não quero paz, mas é uma questão de princípio!” “Não tem nada haver com meu ego, mas preciso ensinar a esta pessoa uma lição de princípios” “Por mim eu até deixaria passar, mas tenho um princípio: não perdoo ninguém até que peça desculpas formalmente. Apenas dizer: ‘Sinto muito’ não é suficiente para mim!”

Para nossa sorte, o Rabino Zelig Pliskin escreveu um livro (em inglês) intitulado Harmony with Others: Preventing and Resolving Quarrels – Formulas, Stories and Insights (Harmonia com os Demais – Evitando e Resolvendo Brigas – Fórmulas, Histórias e Pensamentos). Neste livro o Rabino Pliskin oferece um guia prático para escaparmos de pequenas disputas e grandes desacordos. Ele ilumina a raiz de nosso comportamento e demonstra como fazer para manter a harmonia com os demais.

Entre os diversos capítulos encontramos títulos interessantes como: ‘Seja conciso e pense nas consequências’, ‘O tom de voz certo’, ‘Suavize a retórica’, ‘Permita à outra pessoa expressar seus sentimentos’, etc.

O que o Rabino Pliskin responde à pessoa que coloca os ‘princípios’ acima de tudo? Eis um trecho do capítulo 68, intitulado “É por Princípio!”:

“Princípios e valores são muito importantes, mas o princípio de ‘Amar a paz e procurar a paz’ é ainda mais importante que os demais. Às vezes o nosso Yétser HaRá (má inclinação) aparece na forma de retidão e justiça, fazendo com que entremos em discussões alegando que é por um motivo justo, quando na verdade o motivo é o ‘orgulho ferido’ ou o ‘ego magoado’. Por exemplo: muitas vezes ocorrem situações de atrito em que podemos alegar que o nosso ego não está envolvido e que precisamos ensinar uma lição de comportamento a alguém. Mas, e se se trata de uma situação em que esse alguém não falou com respeito ou não nos tratou da maneira que gostaríamos de ser tratados? Ainda assim a discussão continua a ser por princípios de justiça e retidão? Será que o nosso ego não está envolvido?

Muitas vezes na vida surge o seguinte dilema: “Qual a coisa certa a fazer neste determinado caso? Objetivamente falando, devo concordar ou não? Devo perdoar ou não? O que fazer?” Devemos nestes casos consultar um estudioso de Torá para esclarecer a coisa certa a fazer. Uma pessoa sábia e objetiva nos dará uma distinção mais acurada entre o que é realmente questão de princípio e o que é questão de ego.

Porém, há uma grande regra: quando em dúvida, escolha o caminho da paz! Há uma grande probabilidade que o caminho da paz irá beneficiá-lo.

Vou lhes contar algo que aconteceu comigo: encontrei uma pessoa alegre, já de idade, que consistentemente ignorava insultos e evitava intrigas. Um dia alguém lhe falou: “Não é certo que outros o tratem sem o máximo respeito. O senhor não mantém o princípio de que deve ser bem tratado?” Aquele senhor respondeu: “Meu princípio mais importante é que EU devo tratar os outros com respeito e espero que os outros aprendam do meu exemplo. Outro princípio que tenho é que desejo viver uma vida prazerosa. Ao exigir que os outros me tratem com respeito, isto não necessariamente me trará um verdadeiro respeito, mas com certeza me trará aflição e falta de alegria. Prefiro trabalhar sobre princípios reais e não sobre meu ego fantasiado de princípio!”

Se você quer salvar uma amizade, um casamento ou um relacionamento, recomendo-lhe a leitura do ‘Harmony with Others’ (disponível em http://www.artscroll.com/Books/harmp.html ). Provavelmente irá querer comprar 2 cópias: uma para você e outra para a outra pessoa!


Harmony With Others

www.artscroll.com
You’re angry. And of course, you’re right! But the other person is also angry – and of course convinced that he or she is right. What next? How do you resolve arguments, disagreements, strife? How do you keep inevitable unpleasantness from souring your


Pensamento: Irritar-se é comer veneno, esperando que o outro morra!


RABINO KALMAN PACKOUZ – Do Aish Hatorá, é o criador do Meór Hashabat, boletim semanal com prédicas. Saiba mais.

NOTA:- Desejando contribuir para o Meor Hashabat acesse o www.aishdonate.com - Email – meor18@hotmail.com