TESTES DE CONFIABILIDADE DE UMA AVALIAÇÃO – POR ISAAC HAYON SASSON

312_especial_5_1

Quando uma empresa é avaliada, que garantia temos de que a avaliação é confiável?

Lembre-se de que o vendedor vai pedir o céu, e o comprador vai oferecer quase que o chão.

Vamos supor que você contrata duas empresas de avaliação sérias, e que com os mesmos dados básicos de entrada, cada uma obtém como resultado do valor de sua empresa $2.199.459 e $2.426.335. Ali você provavelmente acha que sua empresa está perto de esses valores calculados por estar um próximo do outro. Mas o que aconteceria se as empresas de avaliação chegassem a valores diferentes de $2.199.459 e $7.372.912? Poderia acontecer que uma das avaliações estaria correta ou as duas estariam erradas, mas com certeza você estaria claramente com dúvidas sobre um valor confiável de sua empresa.

O avaliador ou gestor financeiro terá a missão de encontrar o valor correto, ou seja, o valor intrínseco da empresa, independentemente dos valores do mercado ou das conveniências das pessoas envolvidas na transação. Para isso terá que passar ao menos pelos seguintes testes:

I. A avaliação entregue deve ser compreendida por qualquer financeiro no mundo, seja escandinavo, mexicano, africano ou japonês.

II. Conferir que para qualquer “Projeção de Expectativas” (ou cenário) que for escolhida, o Balanço Geral esteja equilibrado contabilmente.

III. Conferir também para qualquer “Projeção de Expectativas” (ou cenário) que for escolhida, o Demonstrativo do Fluxo de Caixa esteja equilibrado contabilmente.

IV. Mostrar coerência ao alterar tanto uma variável “benéfica” quanto uma “prejudicial”, quando o restante das variáveis é mantido constante. Quando alguma variável benéfica da empresa é aumentada, mantendo-se todas as outras variáveis constantes, o valor da empresa aumenta e, quando esta variável benéfica diminui, o valor da empresa diminui. Em contra-partida, quando uma variável prejudicial é modificada mantendo-se todas as outras constantes, o valor da empresa modifica-se de forma oposta, ou seja, quando a variável aumenta, o valor da empresa diminui e, quando esta diminui, o valor da empresa aumenta. Por exemplo, se as vendas (benéfica) aumentam, mantendo-se constantes ao resto de variáveis, o valor da empresa aumenta. Se o custo da matéria prima (prejudicial) aumenta, mantendo-se constantes o restante de variáveis, o valor da empresa diminui.

V. Quando um avaliador ministra um curso sobre Avaliações em Finanças Corporativas, este apresenta publicamente a transparência no seu trabalho. Ver Curso de Avaliação de Empresa.

Veja Não negocie sem antes avaliar.
Veja Finanças Corporativas.


Isaac Hayon Sasson é Engenheiro Mecânico, Executive MBA, especializado em Finanças Corporativas, e consultor nas áreas de avaliação de empresas, projetos de engenharia, construção de fábricas e recuperação de empresas.

isaach@sti.com.br - www.valordeempresa.com


“Nossa eficiência na avaliação não depende do tamanho a ser avaliado e sim da veracidade dos dados recolhidos da empresa”