O QUE APRENDEMOS COM NOSSOS PAIS – RABINO KALMAN PACKOUZ | Glorinha Cohen

O QUE APRENDEMOS COM NOSSOS PAIS – RABINO KALMAN PACKOUZ

319_história_2_1Recebi um e-mail divertido sobre as lições que aprendemos de nossos pais. Inicialmente achei engraçado, mas quanto mais pensei sobre ele, mais o achei preocupante. Por que algo é engraçado? Na minha análise de humor — que está longe de ser abrangente — algo é engraçado por pelo menos duas razões: 1) Trata-se de uma resposta inesperada 2) Há um elemento de verdade nesta resposta inesperada. E por que razão o considerei preocupante? Pelos mesmos dois motivos!

Talvez a interpretação de uma citação W. C. Fields explicará isto melhor. W. C. Fields foi um ator americano, comediante, malabarista … e alcoólatra. Certa vez ele disse: “Eu bebia whisky e água e fiquei bêbado; bebia bourbon e água e fiquei bêbado; bebia gin e água e fiquei bêbado. Sabe o que aprendi? Permaneça afastado da água!”

A pessoa pode aprender as lições erradas da vida. Em nenhum lugar isso é mais prevalente do que com as crianças aprendendo de seus pais. Eis o email irreverente que recebi:

“Lições” que os nossos pais nos ensinaram

Minha mãe me ensinou Religião: “É melhor você rezar para esta mancha sair do tapete”.

Meu pai me ensinou Lógica: “É assim porque eu disse que é”.

Minha mãe me ensinou Mais Lógica: “Se cair do balanço e quebrar o pescoço, você não irá para a loja comigo”.

Meu pai me ensinou Ironia: “Continue chorando e vou lhe dar um bom motivo para chorar”.

Minha mãe me ensinou sobre Fazer o Impossível: “Feche a boca e coma sua janta”.

Meu pai me ensinou sobre Perseverança: “Você vai sentar lá até que todo este espinafre tenha ido embora”.

Minha mãe me ensinou sobre o Clima: “Este seu quarto tem a aparência de que um furacão passou por ele”.

Meu pai me ensinou sobre Exagerar: “Eu já te disse um milhão de vezes para não exagerar!”

Minha mãe me ensinou sobre Expectativa: “Espere só até seu pai chegar em casa”.

Meu pai me ensinou Oftalmologia: “Se você não parar de envesgar os olhos, eles vão ficar grudados no seu nariz”.

Minha mãe me ensinou Como me Tornar um Adulto: “Se não comer seus legumes, você nunca vai crescer”.

Meu pai me ensinou sobre Justiça: “Um dia você terá seus filhos e eles serão exatamente como você!”

O elemento de verdade é que estas NÃO são as lições que os nossos filhos irão aprender destas declarações dos pais. As crianças aprenderão medo, ressentimento, frustração, falta de respeito, rebeldia — quase tudo menos o amor e o respeito por seus pais e as lições que deveriam ser aprendidas.

O amor dos pais pelas crianças é inato. O amor das crianças por seus pais tem de ser conquistado – não pode ser exigido ou imposto. Escreveu o Rabino Avraham Twerski: “Se os pais agem de um modo que mereça a admiração de seus filhos, eles receberão o seu amor. Estas crianças provavelmente irão evitar fazer qualquer coisa que aflija ou aborreça seus pais. Qualquer pai/mãe que dependa de sua autoridade para fazer os filhos obedecerem poderá acabar se desiludindo e desapontando. Crianças que obedecem aos pais por medo – seja de punição ou de incorrer em sua desaprovação – ou que sentem que as exigências dos pais são excessivas estão susceptíveis a se rebelar, sair de casa e seguir seu próprio caminho”.

Nossos filhos têm de saber que os amamos. Há momentos em que precisamos discipliná-los, mas devemos tratá-los com respeito – para ouvi-los, para conversar, para demonstrar empatia – mas não reagir com raiva. Só então a disciplina será eficaz e obterá os resultados desejados!


Pensamento: “A pessoa deve corrigir as suas próprias falhas antes de corrigir os outros” (Talmud Baba Batra 60b).

Isso não nos isenta de repreender os demais; ao contrário: nos obriga a corrigirmos a nós mesmos primeiro!


RABINO KALMAN PACKOUZ – Do Aish Hatorá, é o criador do Meór Hashabat, boletim semanal com prédicas. Saiba mais.

NOTA:- Desejando contribuir para o Meor Hashabat acesse o www.aishdonate.com – Email – meor18@hotmail.com