EMUNÁ NA PRÁTICA – RAV EFRAIM BIRBOJM

317_historia_3_1Como nos comportamos quando não há ninguém olhando? Nossa honestidade depende de testemunhas ou vivemos com a certeza de que D’us vê tudo o que fazemos?


“John Smith, um professor de educação física de uma escola secundária dos EUA, havia instituído na escola a modalidade de “subir pela corda”. As crianças precisavam subir até um ponto localizado a quatro metros e meio de altura. O professor treinava e ensinava os alunos a subirem essa distância no menor tempo possível. O recorde para essa modalidade era de 2,1 segundos. Este recorde não era batido havia três anos.

Durante três anos Bobby Polacio, um rapaz de 14 anos, havia treinado e se exercitado, motivado pelo sonho de quebrar esse recorde. Na primeira de suas três tentativas, Bobby subiu a corda em 2,1 segundos, igualando o recorde. Na segunda tentativa, o cronômetro parou em 2 segundos exatos, um recorde! Enquanto Bobby descia pela corda e toda a classe se aproximava para verificar o cronômetro, o professor sabia que teria que fazer a ele uma pergunta. Havia uma pequena dúvida em sua mente: será que Bobby havia ou não conseguido tocar a marca que ficava a quatro metros e meio de altura? Caso não tivesse conseguido, teria sido por uma fração de centímetros. Porém, só Bobby sabia a resposta. O professor então perguntou-lhe: “Bobby, você conseguiu tocar a marca?”. Se ele dissesse que sim, o professor confiaria em sua palavra e o recorde com o qual ele sonhara desde os onze anos, e para o qual havia treinado diariamente, seria dele.

Com a turma já o cumprimentando por seu desempenho, o garoto magrinho e de pele morena balançou a cabeça negativamente. Nesse simples gesto, todos testemunharam um momento de grandeza. Com esforço e com a voz embargada, o professor anunciou à turma:

- Pessoal, este rapaz não bateu o recorde de subida pela corda. Porém, ele estabeleceu um novo recorde, mais importante, que vocês devem imitar. Ele disse a verdade. Bobby, estou orgulhoso de você. Você estabeleceu um recorde que muitos atletas nunca atingiram.

Bobby então aproximou-se para sua última tentativa. O ginásio estava em silêncio. Cinquenta rapazes e um treinador prendiam a respiração enquanto Bobby Polacio subia a corda em 1,9 segundos! Um novo recorde da escola e, talvez, um novo recorde nacional para um garoto daquela idade. John então falou para o rapaz:

- Bobby, aos quatorze anos, você é um homem melhor do que eu. Obrigado por ter subido tão alto hoje.”

Como nos comportamos quando não há ninguém olhando? Nossa honestidade depende de testemunhas ou vivemos com a certeza de que D’us vê tudo o que fazemos?


RAV EFRAIM BIRBOJM – Mestre em Engenharia pela Escola Politécnica da USP, começou seu processo de Teshuvá (retorno ao judaísmo) aos 25 anos, através da Instituição “Binyan Olam”. Saiba mais.

Email: efraimbirbojm@gmail.com