Livros: “Identidades e crise das democracias”, de Bernardo Sorj,  “O pai de Carlinhos”, de Cynara Monteiro Mariano e “A desordem do amor Meandro” de Mirannda Ely.

IDENTIDADES E CRISE DAS DEMOCRACIAS, DE BERNARDO SORJ

O livro de Bernardo Sorj procura responder às perguntas “Quem sou eu? ” Quem somos nós? ”, tendo como ponto de partida a análise da formação das identidades. Depois de realizar um rápido apanhado histórico, se concentra nos processos contemporâneos de fragilização das identidades individuais e coletivas. Fragilização, essa, que alimentada por transformações sociais e culturais, e expectativas de consumo inexequíveis para a maioria, produz um mal-estar social apropriado por discursos antidemocráticos.um mal-estar social apropriado por discursos antidemocráticos.

O livro está disponível para livre acesso em: http://www.plataformademocratica.org/Arquivos/Identidades_e_Crise_das_Democracias.pdf

Bernardo Sorj, cursou o B.A. em História do Povo Judeu e o M.A. em Sociologia na Universidade de Haifa, Israel, e obteve o título de Ph.D. em Sociologia pela Universidade de Manchester, Inglaterra. Foi professor titular de Sociologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e catedrático e professor visitante em diversas universidades e centros de pesquisa na Europa e nos Estados Unidos.

Autor de 30 livros publicados em várias línguas e mais de 100 artigos acadêmicos. Atualmente é diretor do Centro Edelstein de Pesquisas Sociais e de Plataforma Democrática.


“O PAI DE CARLINHOS”, DE CYNARA MONTEIRO MARIANO

Conexão real entre pais e filhos

Uma história sobre economia do cuidado e paternidade ativa

A paternidade ativa são as ações, o cuidado físico e emocional que se dá ao filho. É a maneira única de olhar, de falar e de cuidar da criança. Esse envolvimento traz como possibilidade uma melhor qualidade de vida e a criação de vínculos afetivos mais fortes e saudáveis para todos.

Trazer alguém ao mundo e criar não é uma tarefa fácil, nem para pais e nem para mães. A complexa relação entre pais e filhos, desde as situações mais cômicas às mais dramáticas, é temática do livro “O pai de Carlinhos”, publicado pela editora Literare Books International, escrito por Cynara Monteiro Mariano. A obra retrata a vida de um menino, Carlinhos, de nove anos que, como todo garoto de sua idade, gosta de se divertir, e se considera uma criança quase completa, quase feliz.

Em sua vida, existe amor e cuidado da família, a presença da mãe é constante, mas o pai vive atarefado e sem tempo para brincar. Em dado momento, o pai passa por uma grande mudança profissional, tendo que se reinventar, após perder o emprego. Ele começa a passar os dias em casa e, aos poucos, se envolve mais com o filho, mudando toda a relação entre os dois. Ao ficar mais próximo do menino, entende a importância da convivência com o filho e a família passa a ser mais unida.

A autora da obra é casada e mãe dos gêmeos Hector e Iorrana, de nove anos, que lhe propiciaram o resgate da ludicidade e da magia da infância, inspirando-a a lançar uma coleção de livros de literatura infantil, adequada ao ensino fundamental, com a finalidade de abordar temas relevantes, atuais e sensíveis para o contexto da educação das crianças e seu relacionamento com as famílias e em outros ambientes.

Com ilustração de Santuzza Andrade, a obra conta uma história linda sobre a relação entre pais e filhos e, principalmente, amor.

SOBRE A AUTORA

Cynara Monteiro Mariano – Natural de Fortaleza, Ceará. Advogada e professora da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), doutora em Direito pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR), com estágio Pós-Doutoral pela Universidade de Coimbra (Portugal) e mestre em Direito pela UFC. Ex-Membro do Conselho Universitário da UFC, no qual representou a extensão universitária. Vice-Presidente do Instituto Latino-Americano de Estudos sobre Direito, Política e Democracia – ILAEDPD, membro do Instituto Cearense dos Advogados, ex-presidente da Fundação Superior de Advocacia do Ceará – FESAC e da Comissão de Estudos Constitucionais da OAB-CE. Ex consultora da CAPES e integrante do Grupo Assessor Especial da Diretoria de Relações Internacionais (GAE/DRI/CAPES). Parecerista de revistas e periódicos científicos na área jurídica e autora de vários livros já publicados na área.


“A DESORDEM DO AMOR MEANDRO” DE MIRANNDA ELY

Autora brasileira lança romance na França, Portugal e Espanha

O romance “A desordem do amor Meandro” (Editora Literare Books International), segundo livro da trilogia Paris Sans Eiffel, que apresenta uma narrativa poderosa e envolvente, foi lançado em abril na Europa, nas cidades de Paris, Lisboa e Barcelona.

A escritora Mirannda Ely busca nesta obra pelo autoconhecimento e a reflexão sobre o amor e a entrega é o ponto principal. Mergulhando nas emoções e questionamentos de vida, onde as estrelas são os sentidos que os seres humanos têm em se conhecer.

O romance continua não sendo apenas sobre um casal e, ao logo das páginas, evidencia o fluxo não linear da entrega, como um rio que nunca é o mesmo, cheio de curvas, conquistas e decepções, levando a reflexões e aprendizados por meio de tudo e de todos que cruzam o nosso caminho. As mil e uma dores envolvidas no despertar, culminando em uma única certeza: é tudo por amor.

Meandro
Um dos locais do lançamento, em Portugal, ocorreu na Quinta do Vale Meão, produtora do vinho homônimo, cheio de características portuguesas, já foi contribuinte assídua do icônico Barca Velha e faz Meandro, que também deu nome ao segundo livro da trilogia Paris Sans Eiffel.

Meandro é um rio que traz, por meio de suas águas, um caminho tortuoso e que nunca se repete. Cheio de curvas, nos impossibilita saber o que virá, exatamente como a vida, e foi por tal motivo que a escritora Mirannda Ely definiu esse como o nome do seu segundo livro. “A perfeição e desejo desesperador de Bramare deságua em Meandro, mostrando a desordem do amor, as dificuldades em nossa compreensão e a única saída: para dentro, num mergulho incrível por nossos sentimentos mais profundos e sombrios”, explica a autora.

Paris Sans Eiffel
Em 2020, Mirannda iniciou o processo de criação daquela que é sua maior e mais complexa criação até o momento. A trilogia Paris Sans Eiffel apresenta inspirações naturais da autora, elementos como sedução, romance, autoconhecimento e mundo dos vinhos são inseridos na narração dos livros.

“Enquanto o primeiro livro (O desespero do desejo Bramare), envolve tesão, sedução, elegância e o desejo ardente, a segunda obra (A desordem do amor Meandro), ainda que escrita no mesmo período, tem uma carga mais lenta, tem muita reflexão, psicanálise e autoconhecimento”, diz Mirannda.

Facebook20
Share
Instagram20
WhatsApp20