QUANTO VALE UM BOM ATO? – RAV EFRAIM BIRJOIM

Naquele momento nascia a instituição “Hatzalá”, atualmente presente em dezenas de países, com milhares de voluntários, responsável pelo salvamento de dezenas de milhares de vidas. E tudo começou com a atitude de um único homem, que não sabia até onde seus esforços chegariam, mas que resolveu fazer a sua parte.

O Sr. Herschel Weber z”l vivia no Brooklin, em Nova York. Ele era uma boa pessoa, preocupado com o próximo, mas nunca tinha feito grandes atos. Porém, um incidente mudaria completamente sua vida e a vida de milhares de pessoas.

Certo dia, o Sr. Weber estava na sinagoga, rezando, quando um dos frequentadores teve um ataque cardíaco. A ambulância foi chamada, mas levou 40 minutos para chegar. Quando os médicos chegaram, infelizmente já não havia mais nada a se fazer. O Sr. Weber, que viu o homem morrer diante dos seus olhos, se sentiu impotente diante daquela situação. Ele se remoía o dia inteiro, perguntando se poderia ter feito algo para salvar a vida daquele homem. Com o coração apertado, ele e mais dois amigos resolveram fazer um curso de primeiros socorros e compraram cilindros de oxigênio para situações de emergência.

Não passou muito tempo até que, certa manhã, uma senhora idosa pediu ajuda ao Sr. Weber. Seu marido não se mexia na cama e ela não sabia o que fazer. O Sr. Weber correu até a casa dela, levando um cilindro de oxigênio, mas quando chegou, infelizmente o velhinho já havia falecido. O Sr. Weber saiu de lá triste por não ter conseguido ajudar e começou a descer lentamente pelas escadas. Escutou então a conversa de dois vizinhos, que questionavam as habilidades do socorrista, dizendo que provavelmente o senhor havia morrido porque ele não soube fazer direito seu trabalho. Escutar aquela conversa foi uma facada no coração do Sr. Weber. Ele ficou deprimido e, por dois dias, chorou em casa. Não queria sair, não queria ver ninguém e ficou em dúvida se deveria continuar com seu trabalho voluntário de tentar salvar vidas. Decidiu então se aconselhar com o Rav Yoel Taitelbaum zt”l (Romênia, 1887 – EUA, 1979), mais conhecido como Satmer Rebe. Ele perguntou se era algo importante criar um grupo de voluntários para prestar primeiros socorros. O Satmer Rebe leu para o Sr. Weber uma passagem do livro Shaarei Teshuvá, de autoria do Rabeinu Yoná (Espanha, século 12), que ensina que é bom e correto que exista, em cada cidade, voluntários do povo que estejam prontos para qualquer situação de “Hatzalá” (salvamento). O Rebe de Satmer incentivou-o a seguir em frente com o seu projeto e lhe deu uma Brachá calorosa para que tivesse muito sucesso.

Naquele momento nascia a instituição “Hatzalá”, atualmente presente em dezenas de países, com milhares de voluntários, responsável pelo salvamento de dezenas de milhares de vidas. E tudo começou com a atitude de um único homem, que não sabia até onde seus esforços chegariam, mas que resolveu fazer a sua parte.


RAV EFRAIM BIRBOJM – Mestre em Engenharia pela Escola Politécnica da USP, começou seu processo de Teshuvá (retorno ao judaísmo) aos 25 anos, através da Instituição “Binyan Olam”. Saiba mais.

efraimbirbojm@gmail.com

Facebook20
Share
Instagram20
WhatsApp20